quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Mais uma batalha contra o telemarketing

* Essa excelente crônica abaixo foi escrita por minha amiga Thalita Marchiori *


Estava pensando com meus botões e percebi onde mais perdemos nosso precioso tempo atualmente. São reclamações, cancelamentos, ou até mesmo simples perguntas e quando achamos que estamos livres, lá vamos nós pegar o telefone de novo. Sim, estou falando do telemarketing!
Ao pensar na ligação, já temos que nos preparar psicologicamente para horas a fio com o telefone na orelha, e quando o caso é realmente grave, escutamos uma musiquinha insuportável por muito tempo.

Esses dias, estava eu no banco, alegre por receber finalmente o meu salário do mês, quando vi que mais uma taxa foi descontada dele. Fui perguntar à simpática e sorridente gerente que me informou que aquela taxa é sobre um serviço maravilhoso que só o banco em que ela trabalha oferece! Falou, falou, falou e eu percebi que nunca iria usar este serviço. Foi então que eu pedi que ela cancelasse este serviço e então veio a temida frase: “Senhora, para cancelar este serviço é necessário que entre em contato com nossa central de atendimento, através do 0800 blá blá blá...”

Lá fui eu para casa, respirando fundo e fazendo exercícios de meditação para não desistir durante a ligação. Peguei o telefone, pus um copo de água ao meu lado, peguei todos os dados do banco, foi uma grande preparação! Disquei e já começou mal! Começou com a bendita musiquinha! Mas tudo bem, respire fundo! Uma voz gravada dizia: “Para saber seu saldo, disque 1; para conta corrente, disque 2...” E nunca chegou uma opção falando sobre cancelamento. Poxa vida, era justamente a única opção que eu precisava. Mas nem tudo estava perdido, eu ainda podia falar com um atendente. Algum tempo depois de tanto ouvir musiquinha, uma atendente falou aquele textinho que eles precisam falar quando atendem um cliente e que termina geralmente em: “...em que posso ajudá-la?”. Foi então que eu expliquei meu caso e pedi o cancelamento do serviço. E sabe o que ela fez?? Ela me transferiu! Mais musiquinha para mim! Muito obrigado!!

Mais um tempo esperando que outra pessoa me atendesse, desta vez um homem perguntou como poderia me ajudar. Expliquei novamente a história para ele, confirmei um monte de dados, esperei todo o tempo necessário, até que o rapaz me informou que minha solicitação havia sido atendida e me perguntou se eu estava satisfeito com o atendimento. Eu, feliz da vida, respondi que sim, estava satisfeita! Afinal, demorou mas resolveu. Depois desta ligação de trinta e seis minutos (até que nem demorou tanto), comecei a pensar que ligar no atendimento ao cliente nem é tão ruim, dá pra suportar.

Um mês se passou, lá vou eu de novo ao banco, no feliz dia do pagamento. Eu pedi um extrato, meus olhos não acreditaram! Lá está ela, a bendita taxa pelo bendito serviço que eu não quero! Me arrependo de ter falado ao atendente que estava satisfeito com o serviço. Agora não estou mais! Lá vou eu para casa, recomeçar a batalha contra o atendimento ao cliente! Me deseje sorte!


Nenhum comentário:

Postar um comentário